Comitês em Ação

A música africana dos quilombos invade o Centro Cultural Ação da Cidadania no Festival Cais do Porto Musical

Cortejo, roda de capoeira, palestra e outras atividades farão parte do quarto módulo do festival

Dia 8 de agosto às 19h no Centro Cultural Ação da Cidadania. Grátis

Em agosto, o Festival Cais do Porto Musical leva ao Centro Cultural Ação da Cidadania A Música Africana nos Quilombos. A apresentação da música afro-brasileira que originou o afoxé, lundus, jongo, maracatu, maxixe e o samba de roda virá através dos grupos Tambores de Olokun e Afoxé Filhos de Ghandi, que durante suas performances, terão comentários da historiadora Helena Theodoro que falará sobre “Música e dança: resistência dos quilombos”.

O grupo Akanni abre a roda com capoeira e jongo, mantendo a tradição das Rodas de Capoeira no Largo dos Guimarães em sua Santa Teresa de origem. Duda Fonseca, aluno do pioneiro mestre Darcy do Jongo no ‘Espaço de Construção da Cultura’ do Ação da Cidadania, é quem dirige o Akanni. Ele se lembra com carinho do espaço onde já deu aula: “em 99 eu entrei como aluno do Ação e em 2000 já estava dando aula. A iniciativa é muito bacana porque o Ação desenvolve um papel muito importante pra sociedade e é uma grande honra pra mim estar no Festival”, disse Duda.

O Grupo Tambores de Olokun, que abre a programação musical, vai mostrar o Maracatu num caldeirão de religiões, instrumentos, ritmos, danças, cantos e línguas que se misturam e influenciam há séculos. Logo após, vem o grupo Afoxé Filhos de Ghandi, que levará ao Centro Cultural Ação da Cidadania a mesma característica de "cortejo carnavalesco dos adeptos da tradição afro-nagô" ou simplesmente chamado de "candomblé de rua", tornando-se desta forma um elemento da tradição carnavalesca carioca, circulando entre o profano e o sagrado, com a desenvoltura necessária de quem tem a responsabilidade de retratar e preservar a expressão de um grupo social, através de sua cultura e religiosidade.

A apresentação da Lenda de Oxum, direção artística de Regina Sales, com as baianas de Gandhi e a charanga tocando os ritmos dos santos com afoxés e samba de roda abre caminho para o cortejo final da música africana dos quilombos. Nesse momento, o público será convidado a seguir em cortejo no entorno do galpão do Ação, tendo como destino final o Cais do Valongo.

O festival tem como objetivo resgatar, através de apresentações artísticas, palestras e oficinas técnicas e concertos didáticos, a música brasileira na linha do tempo de sua formação, desde a música indígena, passando pela música europeia e africana, encontrando seus elementos musicais de origem, influências e fusões.

Nos próximos meses, a programação do projeto Festival Cais do Porto Musical receberá os seguintes temas: Lundus e Modinhas, Gafieiras Cariocas, Música e Dança, Bandas e Orquestras.

CAIS DO PORTO MUSICAL | AGOSTO: MÚSICA AFRICANA NOS QUILOMBOS

Festival de Música que promove shows e oficinas tendo a música brasileira como referência. Em agosto o tema é a música africana nos quilombos. Grátis.

Dia 07 de agosto – Dança Afro Brasileira – com Carlos Mutalla e Alê de Freitas e Percussão – com Mestre Koquinho para estudantes da rede municipal de ensino (das 15h às 17h).

Dia 08 de agosto |palestra e apresentação artística

19h | Apresentações artísticas: Tambores de Olokun, Afoxé Filhos de Ghandi, Grupo Akanni e Lenda de Oxum

Palestra: Helena Theodoro

Classificação etária: 12 anos | Capacidade do local - 1.000 lugares

Centro Cultural Ação da Cidadania: Av. Barão de Tefé, 75 - Centro (prox. Praça Mauá e do Hospital dos Servidores)

Mais informações: 21 2233-7460

Sinopse das próximas atrações:

Lundus e Modinhas é a música brasileira que surge através da transição, assimilação e fusão com a música africana e europeia de origem. “A Modinha que deu a Serenata e o Lundu que deu Samba” é a transição revelada pelo pesquisador Nicolas Souza Barros. O Grupo Quadro Cervantes, uma referência em música antiga, oferece uma oficina de danças renascentistas com a música tocada ao vivo pelos ministrantes. As modinhas e lundus do século XIX compõem o repertório da apresentação do Grupo.

Gafieiras Cariocas, Música e Dança - a popularidade do lundu, com sua dança das umbigadas, o samba embrionário, o nascimento do maxixe, considerada a primeira dança de par e gênero musical genuinamente brasileiro, os lendários cabarés da Lapa, e o surgimento do Samba de Gafieira são estudados nesse módulo com palestra do pesquisador Ricardo Cravo Albin. A Cia. Aérea de Dança, liderada por João Carlos Ramos, apresenta suas pesquisas corporais em torno do samba e da gafieira, que a qualifica como uma das mais importantes companhias de dança da cena carioca.

Bandas e Orquestras, na linha do tempo da música brasileira, têm a sua origem nas charangas dos negros barbeiros, passando pelos pequenos grupos de chorinho, pelas festas dos chorões até o surgimento das bandas, fanfarras e orquestras. A primeira edição do Festival Cais do Porto Musical, finaliza com duas atrações representativas: O Grupo de Chorinho AMC da baixada fluminense e a Orquestra Pixinguinha, dirigida pelo maestro Henrique Cazes, em ambas, a música-síntese de fusões do gênio carinhoso do maestro Pixinguinha.

Notícia publicada em 18.07.2014