Comitês em Ação

Duas mil refeições servidas no Banquetaço do Rio

Ato tem como objetivo defender a permanência do Consea

Foram mais de quinze mil refeições oriundas da agricultura familiar e agroecologia, preparadas com produtos doados por pequenos produtores em quase quarenta cidades de todo o Brasil. O Banquetaço aconteceu na quarta, 27 de fevereiro, e o Largo da Carioca foi o lugar escolhido para sediar o evento no Rio de Janeiro.

Quiabo refogado, feijão, abobrinha recheada, salada, macarronada, arroz e berinjela assada, entre outros alimentos, foram oferecidos para a população em pratos biodegradáveis, muitos deles feitos com folhas de bananeira. Duas mil refeições foram servidas, além de sobremesas como doce de abóbora com gengibre, pamonha e frutas.

O banquete foi uma manifestação contra o fim do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, extinto no primeiro dia do governo Bolsonaro. O Consea Nacional é um órgão ligado à presidência da república formado por representantes da sociedade civil e do governo que tem como objetivo contribuir na elaboração de políticas públicas de combate à fome e pela segurança alimentar da população. Teve fundamental participação na retirada do país do Mapa da Fome da ONU em 2014 ao propor, por exemplo, o Programa de Aquisição de Alimentos e o aperfeiçoamento do Programa Nacional de Alimentação Escolar.

O ato, além de lutar pela manutenção do Consea, também reivindica a garantia de uma alimentação saudável a toda a população. Segundo o Global Burden of Disease (“Peso Global das Doenças”), estudo produzido por 500 cientistas de 300 instituições de pesquisa, atualmente as doenças decorrentes da má alimentação matam mais do que a fome e a subnutrição. Diabetes e doenças cardíacas aliadas à obesidade, frutos do alto consumo de alimentos utraprocessados ricos em gordura, sal e açúcar, também matam mais do que acidentes de carro e atos terroristas.

Diante deste quadro, diversas instituições que trabalham com segurança alimentar (lista completa abaixo) se juntaram no Banquetaço para solicitar mais políticas públicas de incentivo ao pequeno produtor, à agroecologia, às comunidades tradicionais e cooperativas, responsáveis pela alimentação do brasileiro, já que o agronegócio exporta quase que a totalidade de sua produção. A redução do uso de agrotóxicos nos alimentos foi outra pauta apresentada.

Comer é um ato político. Quando alguém escolhe os itens que irão compor seu prato, esse alguém está escolhendo para onde vai seu dinheiro e quais sistemas produtivos serão beneficiados. Ao optar por alimentos locais e agroecológicos, a produção sustentável se fortalece, aumentando a oferta de comida saudável e sem agredir o meio ambiente.

Construtores do Banquetaço RJ:

AARJ - Articulação de Agroecologia do RJ
ABIORJ Associação de Agricultores Biológicos produtores, feirantes e clientes
Ação da Cidadania
ACT - Promoção da Saúde
ADDH-RJ
Aliança pela Alimentação Adequada e Saudável
Associação Ressurgir
Cambucá Consultoria
Capina
CEDAC
Coletivo de SAN RJ
Comer Pra Que?
Comitê Elos
Consea RJ
Cooperativa Cedro
CRN-4
Escola de Nutrição/UNIRIO
FBSSAN - Fórum Brasileiro de Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional
Feira Agroecológica Josué de Castro – Fiocruz
Feira da Roça de Queimados (Agricultor Dininho)
Gastromotiva
Instituto BIO
instituto de Nutrição/ UERJ
Leonardo Chaves
Midia Ninja
Rede de Comunidades Sustentáveis
Sítio Bananeiras (Ajurinã e Janaina)
Slow Food
Subvisa
UERJ
UFF
UFRJ
UNACOOP - Agricultores Familiares associados na Gestão do Pavilhão 30 da CEASA
UNEGRO
UNIRIO
Wursteria
MPA/Raízes do Brasil
Mandatos: Benedita da Silva, Renata Souza, Glauber Braga, Flavio Serafini, Tarcisio Motta e Leonel Brizola Neto

Notícia publicada em 01.03.2019